5G no Brasil: O que você precisa saber

A tecnologia 5G está chegando ao Brasil, a 5ª geração de internet móvel é uma revolução na tecnologia que tem grandes promessas corporativas. O 4G tem sua eficiência em velocidade e conexões instantâneas, porém o 5G possui uma velocidade extremamente superior e possibilita a interconexão de equipamentos e dispositivos e o acesso a produtos inovadores e utilidades domésticas desenvolvendo a chamada Internet das Coisas (IoT).

Em fevereiro de 2021 a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) aprovou o edital referente ao leilão das redes de 5G no Brasil e o andamento pode ser acompanhado pelo site (https://www.ppi.gov.br/5g-leilao-do-espectro-de-radiofrequencias-para-redes-de-telecomunicacoes-de-quinta-geracao) tendo como prazo final do leilão no 4° trimestre de 2021 e contrato previsto apenas para 2022.

A instalação do 5G nas capitais do Brasil deve ser feita até Julho de 2022 e as empresas operadoras de telecomunicações que ganharem o leilão terão alguns prazos a seguir referente a outros lugares:

  • em municípios com mais de 500 mil habitantes, o 5G deverá ser implementado até julho de 2025;
  • municípios com mais de 200 mil habitantes, o prazo é julho de 2026;
  • os que tiverem população acima de 100 mil deverão ter o território atendido pela rede até julho de 2027.

 

Com isso, é provável que todos os municípios com mais de 30 mil habitantes sejam atendidos até dezembro de 2029.

Os benefícios da tecnologia 5G são muitos por ter uma capacidade de transmissão de dados extremamente avançada. Segundo o site Portal da Indústria, “milhares de equipamentos podem estar interconectados numa mesma rede e serem operados remotamente, de forma segura. Em uma rede wifi não temos essa capacidade para suportar tantas conexões e é o que faz com que o 5G seja muito atraente para o desenvolvimento da Internet das Coisas e a evolução da Indústria 4.0”. Além disso, a evolução para a rede 5G traz mais velocidade de conexão em rede banda larga sem perda da qualidade do sinal mesmo quando conectada em vários aparelhos.

As expectativas são altas para a implementação da tecnologia 5G, pois com ela os avanços serão inúmeros, desde aparelhos celulares que a comportem até inteligências artificiais. O futuro está cada vez mais próximo.

Grande chance de crescimento nos ISPS do Centro-Oeste

Grande chance de crescimento nos ISPS do Centro-Oeste

A região Centro-Oeste, composta pelos estados de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal tem a adoção de tecnologias e disseminação da banda larga de forma mais facilitada, é claro que, em algumas cidades, as grandes distâncias tornam esse processo mais difícil.

Em março deste ano os acessos banda larga na região atingiram 2,9 milhões, 62% na região metropolitana. De 2011 a 2016 houve um crescimento na penetração da banda larga na região Centro-Oeste, passando de cerca de 30 conexões a cada 100 domicílios para quase 45.

As grades operadoras de internet ainda são as principais fornecedoras de internet da região. Elas respondem por 67% dos acessos da banda larga fixa no Centro-Oeste, o que mostra a oportunidade de espaço para novos ISPs no local. Do total de 2,9 milhões de acessos, 1,9 milhão são das operadoras Claro, Vivo e Oi. Nessa região há uma baixa penetração dos provedores regionais. No entanto, a Vivo teve uma perda significativa, com redução de 86.935 acessos, 20,5% de sua base de assinantes. Oi e Claro cresceram em média 4% cada uma, agregando 32,3 mil e 28 mil acessos, respectivamente. Além da portabilidade entre as grandes operadoras, cerca de 26 mil acessos migraram para as operadoras competitivas e provedores regionais.

O mercado de tecnologia para os ISPs na região vem sofrendo grandes transformações. Os ISPs adotam principalmente o rádio, também por conta da densidade demográfica da região. A fibra óptica ainda não foi amplamente instalada, mas está em adoção crescente pelos ISPs, que mais que dobraram a quantidade de acessos por tecnologias FTTx em relação ao ano passado. É possível notar também uma maior adoção desta tecnologia por parte dos ISPs frente às grandes operadoras da região. O uso da fibra óptica é um grande diferencial para eles, já que conseguem entregar um serviço com melhor qualidade.

Por conta da maior utilização do rádio pelos ISPs, as velocidades dos pequenos provedores no Centro-Oeste são inferiores à média desse segmento no Brasil. A forte tendência de demanda por velocidades mais elevadas com maior confiabilidade é o que vem movimentando esse mercado para a tecnologia de fibra, que deve ser cada vez mais difundida na região.

Diante disso, a região Centro-Oeste é extremamente propícia para a entrada de mais ISPs. Duas razões são as mais fortes: o aumento da competitividade via fibra óptica e a densidade demográfica de algumas áreas, que se tornam menos atrativas para as grandes operadoras. Além disso, a região demonstra grande potencial de crescimento e adoção de fibra óptica, especialmente por parte dos pequenos e médios provedores, que vislumbram esta oportunidade e desejam estar onde as grandes operadoras não estão.

Pensando na melhoria deste crescimento, a EXPOISP Brasil irá promover um evento gratuito com palestras, exposição de produtos e a apresentação das principais tendências do mercado. O encontro regional será realizado no dia 09 de setembro, em Cuiabá – Mato Grosso do Sul.

O evento foi pensado para pequenos e médios provedores de internet que, no estado, por vezes, são os únicos que conseguem levar o acesso à internet ao o interior e zonas rurais – áreas que não despertam interesse das grandes operadoras.

Saiba mais sobre o evento em nosso site.

Fonte: https://www.cianet.com.br/