7.300 km de cabo

7.300 km de cabo submarino ligam América do Sul aos EUA

As transmissões de dados poderão chegar a 72 Tbps 

O cabo submarino do Sul do Pacífico, comercialmente conhecido por Mistral, que passa por Guatemala, Equador, Peru e Chile teve sua instalação concluída. A expectativa de ativação comercial dos serviços é na metade do ano. A empresa responsável pelo marco, Telxius, já começou as buscas por possíveis compradores com o foco na venda parcial dos ativos da empresa. 

Em 2018 a Telxius já havia finalizado outro cabeamento que chamou atenção. Dessa vez a conexão era entre Brasil e EUA, e deu o que falar alcançando até recordes. O cabo chamado Brusa, com tecnologia de fibra ótica, possuí 10,2 mil Km de comprimento, contém a mais alta capacidade de conexão entre as américas. Brusa já chegou a 160 Tbps, em um único canal de comprimento ele registrou 550 Gbps. Brusa se estende do Rio de Janeiro e vai até Virginia Beach nos Estados Unidos.  

Outro cabo também chama atenção  

Uma grande novidade aguardada pelo mercado de telecom é o cabeamento realizado pela empresa EllaLink que pretende ser um marco histórico para as telecomunicações. Tal fato se dá por se tratar da primeira vez em que servidores dos Estados Unidos não precisarão participar da troca de informações.  

A rota do sistema de cabos transatlânticos será direta entre América Latina e Europa que terão total autonomia nas trocas de dados, troca essa planejada há cerca de uma década. A instalação do cabo foi concluída esta semana e agora se dá o início a fase de iluminar a rede. A ativação do cabo usará a tecnologia ICE6 800G, suportando mais de 100 terabits entre Portugal e Brasil. A inovação tecnológica é 100% privada e europeia. O cabo usará landing stations da Telxius, empresa do Grupo Telefónica, no Brasil. 

Fonte: Tele.Síntese 

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *